Com o crescente aumento dos casos da nova cepa Ômicron, alguns municípios de Mato Grosso, decidiram cancelar o réveillon e o carnaval, com o objetivo de evitar a propagação do vírus e reduzir o número de casos, considerando que no Brasil tem 27 casos confirmados da nova variante Ômicron, até a noite de 2ª feira (20/12/2021).
NOVA XAVANTINA

Com a variante Ômicron em alta, alguns municípios realizarão e outros não o Réveillon e o Carnaval.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp

Com o crescente aumento dos casos da nova cepa Ômicron, alguns municípios de Mato Grosso, decidiram cancelar o réveillon e o carnaval, com o objetivo de evitar a propagação do vírus e reduzir o número de casos, considerando que no Brasil tem 27 casos confirmados da nova variante Ômicron, até a noite de 2ª feira (20/12/2021). São Paulo lidera, com 16 infecções registradas. Goiás aparece na sequência, com 4 casos. Mato Grosso ainda não registrou nenhum caso, mas continua em alta nos casos da Covid-19. A decisão de realizar ou proibir a realização ade eventos, cabe a cada gestor, e algumas cidades de Mato Grosso estão assim:

Poconé: Cancelou o Réveillon, as festividades do aniversário da cidade (21/01) e o Carnaval. Réveillon somente eventos particulares;

Barra do Garças: Cancelou o Réveillon. Apenas eventos particulares, seguindo as regras sanitárias e capacidade reduzida;

Querência: Programado o Réveillon, mas cancelou o Carnaval;

Nova Xavantina: Programado o Réveillon, mas o Carnaval foi cancelado;

Porto Esperidião: Programado o Réveillon;

Canarana: Programado o Réveillon; Carnaval só particular;

Água Boa: Programado o Réveillon;

Juína:  Programado show e queima de fotos;

Porto Alegre do Norte: Cancelou o Réveillon;

Novo Santo Antonio: Cancelou o Réveillon;

Sorriso: Cancelou o Réveillon;

Santa Carmem: Cancelou o Réveillon;

Paranaíta: Cancelou o Réveillon (só terá queima de fogos);

Juruena: Cancelou o Réveillon e o Carnaval.

Os pacientes relataram cansaço extremo, dores pelo corpo, dor de cabeça e garganta e não relataram perda de olfato ou paladar. A maioria deles tinha quadros leves e foi tratada e casa. Quase metade destes pacientes com sintomas da Ômicron não foram vacinados. Segundo a OMS, já se sabe que a Ômicron é uma variante altamente transmissível e com grande número de mutações.

Comente abaixo:

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp

FAMOSOS

Últimas Notícias