NOVA XAVANTINA

Pecuaristas alcançam produtividade acima da média nacional com o FIP

COMPARTILHE


O Projeto FIP Paisagens Rurais trouxe resultados positivos para um grupo de produtores da pecuária de corte e de leite do município do Prata. Ao final dos dois anos da assistência técnica e gerencial, a produtividade do grupo está acima da média nacional. Os dados foram apresentados durante a reunião de benchmarking promovida nesta semana no Sindicato Rural de Prata e marcou a finalização do projeto com este grupo na região.

Pecuaristas alcançam produtividade acima da média nacional com o FIP - SENAR MINAS
O técnico de campo Edwaldo apresentando os resultados do grupo

Entre os 17 produtores de leite, a produção média diária foi de 770 litros, o que resultou em uma média de 3.717 litros por hectare/ano. De acordo com o técnico de campo Edwaldo de Sousa Barbosa Neto, o resultado está acima da média no Triângulo Mineiro, de 3.300 l/ha/ano, e também da média nacional, que hoje está em 3.500 l/ha/ano. O grupo possui, em média, 75,6 hectares por produtor.

“Esta produtividade é interessante, principalmente se considerarmos que o grupo ficou com 66% de animais em lactação em relação ao total de vacas, índice abaixo do preconizado, que é de 80%, no mínimo. Os produtores estão melhorando a parte alimentar, preparando uma suplementação volumosa para o período seco, o que deve aumentar este número de animais em lactação”, disse o técnico.

Wilson Pereira da Silva foi um dos produtores de leite assistidos pelo projeto. “Foi muito bom participar, valeu a pena. O técnico Edwaldo tem muita experiência e, com as suas orientações, consegui reduzir os custos de produção e melhorar a produtividade”, afirmou.

Pecuária de corte

Na pecuária de corte, o grupo de sete produtores também alcançou um resultado acima da média nacional. “No segundo ano de trabalho tivemos uma produtividade de 8 arrobas por dia, o que equivale a 6,8 arrobas por hectare/ano. Esse número está acima da média nacional, que fica em torno de 3 a 4 arrobas por hectare/ano”, destacou Edwaldo. A área média do grupo é de 424 hectares por produtor.

De acordo com o técnico, o índice foi alavancado pelo produtor Luiz Eduardo Brant de Carvalho Filho, que consegue utilizar a palhada da soja para alimentação dos animais no período seco, fazendo um manejo diferenciado e obtendo uma taxa de lotação mais alta. “A assistência foi fantástica, ajudou na divisão das pastagens, na coleta de análises de solo, na melhoria da adubação, na avaliação da carga de animais, utilização da suplementação, entre outros aspectos. O técnico também nos orientou muito em relação ao controle dos custos”, disse o produtor Luiz Eduardo.

“Esse grupo do município do Prata mostra a força da pecuária no Triângulo Mineiro, a importância da assistência técnica ao produtor e como as orientações podem contribuir para a propriedade alcançar bons resultados. Na reunião de benchmarking ficou visível a satisfação dos produtores com a participação no projeto”, afirmou o gerente regional do Sistema FAEMG em Uberaba, Caio Oliveira.

FIP Paisagens Rurais

O Projeto Gestão Integrada da Paisagem no Bioma Cerrado – FIP Paisagens Rurais é financiado com recursos do Programa de Investimento Florestal, através do Banco Mundial. A coordenação é do Serviço Florestal Brasileiro (SFB) e da Secretaria de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação, do MAPA, com parceria da Agência de Cooperação Técnica Alemã (GIZ), do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e do MCTIC, por meio do Inpe e da Embrapa.

Fonte: CNA Brasil

Comente abaixo:

COMPARTILHE

FAMOSOS

Últimas Notícias