NOVA XAVANTINA

Especialistas analisam a importância da atuação do setor de irrigação nos comitês de bacia

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp


Brasília (28/03/2022) – A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) promoveu uma live, na segunda (28), para debater a importância dos comitês de bacia para a irrigação.

O encontro foi moderado pela assessora técnica da Comissão Nacional de Irrigação da CNA, Jordana Girardello. Os participantes foram o presidente da Comissão Nacional de Irrigação da CNA e presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Barreiras (BA), David Schmidt; o diretor de Recursos Hídricos e Revitalização de Bacias Hidrográficas do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), Wilson Rodrigues de Melo Júnior; e o presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica dos rios Corumbá, Veríssimo e São Marcos em Goiás, Bruno Marques.

Jordana destacou que a irrigação tem um papel fundamental não só na sustentabilidade do processo produtivo, mas também na segurança alimentar nacional e mundial. Segunda ela, apenas 20% das áreas mundiais são irrigadas e essas correspondem por mais de 40% de tudo que é produzido.

Segundo a assessora técnica da Comissão Nacional de Irrigação da CNA, a Política Nacional de Recursos Hídricos é participativa e descentralizada, por isso a atuação do setor agropecuários na integração e construção, como um importante e grande usuário desse sistema de recursos hídricos, é crucial para a continuidade e o crescimento da irrigação no País nos próximos anos.

“O planejamento setorial, com respeito aos cenários de crescimento e ao diálogo entre todos os usuários, é essencial para que o Brasil não sofra mais com crises hídricas oriundas de problemas conhecidos e se torne protagonista na gestão integrada dos usos. A palavra final é dialogar, entender as diferenças setoriais e pactuar”, afirmou.

O presidente da Comissão Nacional de Irrigação da CNA abordou o lado do produtor rural irrigante frente às dificuldades que o setor vem enfrentando e como as decisões tomadas nos comitês de bacias podem influenciar a vida do produtor no campo.

“O Comitê não serve apenas para prevenir e dirimir conflitos, mas também informar sobre o uso racional da água e isso envolve o uso da informação e da tecnologia para a racionalização dos recursos, seja na utilização ou no monitoramento da bacia. É um processo dinâmico, onde a informação precisa acompanhar as mudanças e o diálogo deve ser constante”, disse David Schmidt.

Wilson Rodrigues falou sobre a Política Nacional de Recursos Hídricos, o papel dos usuários e como acontece a participação nos colegiados. Ele ressaltou a atuação da CNA dentro do Conselho Nacional de Recursos Hídricos e na defesa de práticas para o melhor uso e reaproveitamento da água.

O presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica dos rios Corumbá, Veríssimo e São Marcos reforçou a importância da representação do setor de irrigação tanto nos comitês de bacias quanto nos conselhos estaduais de recursos hídricos. Para Bruno Marques, o setor agropecuário vem avançando na gestão dos recursos hídricos e consegue devolver para o meio ambiente grande parte da água que utiliza na atividade.

Assessoria de Comunicação CNA
Foto: Wenderson Araujo
Telefone: (61) 2109-1419
flickr.com/photos/canaldoprodutor
twitter.com/SistemaCNA
facebook.com/SistemaCNA
instagram.com/SistemaCNA
facebook.com/SENARBrasil
youtube.com/agrofortebrasilforte

Fonte: CNA Brasil

Comente abaixo:

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp

FAMOSOS

Últimas Notícias